Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Qual crise?

Estas são conversas de um país que, estando em crise, vive apesar dela. Neste espaço fala-se de um Portugal que ainda consegue ser belo, de um GoCar feito playboy e de uma viagem que sempre quis fazer.



Terça-feira, 04.12.12

Da Nazaré a casa - Parte I

 

Não vou falar da etapa. Lisboa é-me demasiado familiar e não me importo de lhe faltar ao texto. Cheguei ao fim. Parti num dia 4 e cheguei noutro dia 4, dois meses depois. Hoje o caminho foi demasiado longo. Vou descansar. Amanhã escreverei o que quero: o epílogo. Depois disso, do remate final, tentarei compilar e paginar todos os textos e acrescentar-lhes mais uns que não viram luz. Pode ser que dê livro. Mas não vou prever nada disso enquanto não o terminar. Amanhã.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Ricardo Braz Frade às 21:56


6 comentários

De Marta a 05.12.2012 às 11:36

Ricardo
mais uma vez parabéns pela aventura. Foi muito bom acompanhar a tua viagem. Conseguiste o feito incrivel fazer milhares de kms num Dinis que tinha tudo para te deixar apeado, mas por razões desconhecidas não o fez.. Incrível mesmo.
Além da aventura do Dinis - que por si só deixa qualquer alminha de boca-aberta - "Como?? Dar a volta a Portugal num teco-teco desses?!Mas o gajo é maluco?" ...
Além de provares que sim és um grande maluco, és também um grande escritor e contador de histórias! E a principal história que passaste é a História quase desconhecida deste país lindissimo e mágico em que vivemos.
Foi muito engrançado recordar-me de ti quando éramos mais miúdos e tentar enquadrar as imagens que tenho de ti nesta grande aventura. Por motivos que também desconheço deixámos que as vidas nos separassem e perdemos o contacto. Foi muito bom "reencontrar-te" desta forma, e foi muito bom ler. Obrigada.
Fico a aguardar o epilogo e a noticia de um livro.
Ou então de outro blog..
Agora que nos viciaste vê lá se não nos deixas apeados Kaki Campeão.
Beijinhos

Marta

Comentar post



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.